Ubatuba promove capacitação em software de informações georreferenciadas

Ubatuba promove capacitação em software de informações georreferenciadas

Cerca de 35 pessoas participaram da capacitação sobre a utilização do software livre Quantum Gis (QGis) –  um programa de Sistema de Informação Geográfica com código aberto e licenciado sob a Licença Pública Geral GNU na última sexta-feira, 4.

Reunidos na Escola Municipal Presidente Tancredo de Almeida Neves, alunos e ex-alunos do curso técnico em Meio Ambiente, professores da unidade, topógrafos e comunidade geral interessada puderam apreciar, das 8h30 às 17h30, instruções, conteúdo e aplicação na prática sobre o trabalho com os dados territoriais georreferenciados.

A equipe do pesquisador do INPE e professor da Universidade de Taubaté, Rene Novaes, ofereceu todo o conteúdo de forma gratuita. Também foi disponibilizada aos presentes uma apostila com algumas informações importantes. O curso ainda não foi concluído – a proposta é que todos possam executar um exercício solicitado durante a aula e enviar por e-mail. Dessa forma, receberão o certificado emitido pelo INPE.

 

Parceria

A ideia da capacitação surgiu a partir do contato da a coordenadora pedagógica do Ensino Médio e Pós Médio do Tancredo, Lúcia Muniz de Souza, que conheceu Novaes quando ele iniciou um trabalho de apoio a dois ex-alunos do curso técnico de Meio Ambiente no desenvolvimento de um projeto.

Foi então que o professor abordou a disponibilidade de realizar uma capacitação sobre a utilização do software como ferramenta de georreferenciamento. “Esse software é gratuito e só precisava que os computadores do laboratório de informática da escola passassem por atualização para que ele fosse instalado. Essa atualização foi um processo um pouco demorado, por isso só conseguimos realizar agora. Aproveitamos um dia de reunião de pais, para não prejudicar os alunos, e promovemos a iniciativa”, explicou Lúcia.

A coordenadora ainda comentou que a ideia é realizar mais edições para formar outras turmas no nível iniciante e, também, promover uma formação em um nível mais avançado, que aborde o manejo das ferramentas mais sofisticadas que o software disponibiliza.

 

Avaliação

Como uma forma de identificar a impressão dos participantes, foi aplicado um questionário de avaliação que, segundo Lúcia, foi muito positiva. “As pessoas saíram encantadas, não só com a didática da equipe, muito atenciosa, mas com a qualidade da informação transmitida”, concluiu.