Poder Executivo

SMPA promove encontro com representantes do Instituto de Pesca

SMPA promove encontro com representantes do Instituto de Pesca

A Secretaria Municipal de Pesca e Agricultura promoveu um encontro com representantes do Instituto de Pesca para reforçar duas solicitações já formalizadas por ofício: um novo plano de contingenciamento  para monitoramento frequente da maré vermelha e a viabilização da construção e implantação de um laboratório de formas jovens para fomentar a maricultura do Litoral Norte.

O encontro contou com a presença da diretora técnica do Departamento Instituto de Pesca, Cristiane Neiva. O Instituto de Pesca é uma instituição de pesquisa científica e tecnológica que desenvolve projetos nas áreas de Pesca, Aquicultura e Recursos Hídricos, vinculada à  Agência Paulista de Tecnologias do Agronegócio  (APTA), da  Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, que  visa obter e transferir tecnologias, construir e compartilhar conhecimentos destinados à melhoria do agronegócio do pescado e da qualidade ambiental.

Por esse motivo, a discussão principal foi a solicitação de um laboratório para fazer as análises de Maré Vermelha constantemente. Segundo o diretor de Gestão de Meios Produtivos/SMPA, Leonardo Moraes, durante a reunião foi comentado que a Apta, a Coordenadoria de Defesa Agropecuária e a Cetesb já estão se mobilizando para fazer esse monitoramento frequente referente às questões de maré vermelha, mas também necessitam de uma participação do governo local, porque essas análises preliminares tem que ser feitas localmente e a coleta precisa ser realizada na zona de cultivo.

Como se trata de um assunto de interesse regional, essa também deve ser uma pauta incluída e discutida no 1º fórum de secretários de Agricultura, Pesca e Meio Ambiente, previsto para acontecer no dia 30 de novembro em Ubatuba.  “Estudamos todas essas possibilidades e decidimos ampliar essa conversa para os outros municípios do Litoral Norte, buscando formalizar essa intenção geral de trazer as análises que hoje são feitas em Santa Catarina para o Estado de São Paulo”, reforçou o secretário de Pesca e Agricultura, Luiz Chaves.

Outra questão tratada na oportunidade foi referente ao laboratório de formas jovens. “O Instituto de Pesca já conta com a possibilidade de fomentar a produção de algas e de formas jovens e, agora, a ideia é conseguir formalizar isso e também ampliar para algumas outras espécies, como peixes ou vieiras, que também estão desfasados de abastecimento nessas formas jovens”, concluiu Moraes.

 

 

/* * VLibras */