Poder Executivo

Um acaso que deu certo: Jê academia comemora 40 anos de existência

Um acaso que deu certo: Jê academia comemora 40 anos de existência

Há 40 anos, a professora de Educação Física Jerusa Parada começava seu próprio empreendimento na sala de casa, dando aula de ginástica geral para duas alunas na fase adulta. O que ela não sabia, é que iria se tornar uma academia referência da Ginástica Rítmica (GR) no Vale do Paraíba e até mesmo no estado de São Paulo, conquistando títulos regionais, estaduais e nacionais na modalidade, além de realizar um trabalho social significativo no município de Ubatuba. Atualmente, são 150 jovens integrantes da “Família Jê”, como elas chamam – 130 só da GR.

A equipe de Ginástica Rítmica da Prefeitura de Ubatuba é, desde meados dos anos 80, formada por ginastas da academia, que em parceria, levam o nome da “Capital do Surfe” pelas competições. Jerusa é professora aposentada da Rede Municipal e, também, foi uma das primeiras profissionais a desenvolver projetos de contraturno escolar, levando ballet, teatro, música para algumas escolas municipais por meio do projeto Influência Positiva na Infância (IPI).

Desde que chegou a Ubatuba, trabalhou em diversas áreas de atuação, inclusive como bancária e contadora, até entrar na academia Vitória – que foi onde teve o primeiro contato com a Ginástica Geral. Dali para frente, ela começou a dar mais atenção a tudo o que era novidade no ramo – além da ginástica localizada, fez cursos de street dance, jazz, dança afro com o objetivo de atrair sempre mais público.

“Nos espetáculos de final de ano, realizados no Tubão, sempre vinha com coreografias e figurinos inovadores”, relembrou.

Como a GR dominou o espaço…

Em meados de 1985, teve contato com um evento denominado “ginastrada” (que reunia modalidades como GA, GR, Dança de Salão) e começou a participar com suas alunas – também representando Ubatuba. Participou de iniciativas em todo o Vale e, inclusive, de programas de TV, com casting para o ballet do Faustão, Raul Gil e Xuxa.

Quase 10 anos depois, Glicia Maria Bellemo (GR do governo do estado) acompanhou o desempenho da academia na ginastrada e chamou a atenção de Jerusa para o potencial que a equipe tinha para GR – ali os laços com a modalidade foram fortalecidos e então, teve início a trajetória de especialização.

Jerusa fez inúmeros cursos, inclusive de arbitragem (com o que atua hoje), e pós-graduação em GR na cidade de Londrina, dedicando a novos conhecimentos, pois naquela época era uma “mudança drástica”, tanto de regras, tanto de conteúdo e trabalho.

Atualmente, suas filhas Joyce e Jessica – também formadas em Educação Física – que dão continuidade ao trabalho na academia, que já conquistou inúmeros títulos. “Durante essa caminhada tive a alegria de formar minhas filhas e hoje trabalham e continuam nossa história. Nesses 40 anos temos a boa sorte de contar com muitas pessoas especiais que fizeram e fazem parte desse caminhar e juntos formamos a história da Jê academia. Além disso, agradecemos todos os anos de parceria com a prefeitura”, enfatizou Jerusa.

GR por amor

Joyce trabalha na academia desde meados de 2000. Ela era da equipe de treinamento e passou a ajudar com os treinos. Inicialmente, o desejo era cursar jornalismo, mas o amor pela GR falou mais alto. Após graduação e especialização na área, ela comentou que a alegria é ver o desenvolvimento dos alunos e perceber o quanto muitas trajetórias são mudadas por meio do esporte.

“Sabemos que é difícil a questão de investimento e orçamento, mas nosso orgulho é continuar representando Ubatuba. Os pais ainda criaram a Associação de GR para que, por meio de eventos, possamos arrecadar fundos que contribuem com a participação nas competições. Além disso, todo aprendizado reflete na vida das meninas. Muitas têm oportunidade de viajar de avião, de conhecer lugares somente participando das competições e elas valorizam muito”, compartilhou Joyce.

“Fomos a primeira modalidade de Ubatuba a se classificar e conquistar primeiro lugar nos jogos abertos (ápice). Há mais ou menos nove anos participamos da competição e todo ano alcançamos algum resultado”, acrescentou.

Ela ainda disse que a GR reforça valores como comportamento, disciplina, asseio e companheirismo entre os atletas e que o trabalho social, como por exemplo, a concessão de bolsas, visa lapidar valores brutos em que elas enxergam potencial durante as seletivas.

“A academia sempre representou a cidade de Ubatuba em grande estilo. Com certeza, é um orgulho para nós”, valorizou o secretário de Esportes e Lazer do município, José Alberto Jacob.

Investimento

As técnicas ainda visam aperfeiçoamento, trazendo grandes nomes da modalidade para que as meninas possam se espelhar e adquirir mais habilidades. Já passaram pelo município nomes como:

-Camila Ferezin – atual técnica da seleção brasileira de conjuntos e ex- ginasta da seleção

– Maria da Conceição Costa- arbitra internacional de GR

– Yordanka Zarkova- ex-ginasta da seleção búlgara

– Monika Queirós – atual técnica da seleção brasileira de individual

– Virgínia Nobre – árbitra internacional

– Ana Paula Ribeiro- ex-ginasta da seleção brasileira

Resumo de alguns títulos conquistados:

8x campeãs dos jogos regionais

3x campeãs dos jogos abertos

5x campeãs do Torneio Nacional

Ginasta classificada para seleção paulista nas olimpíadas escolares

40 anos

A Família Jê está solicitando às pessoas que fizeram parte da história da academia que possam resgatar e ceder fotografias e vídeos, colaborando a relembrar a história. Caso alguém queira enviar, pode entrar em contato pelo telefone 3833-1044 ou pelas redes sociais da academia (facebook e instagram).

 

Fotos: Arquivo pessoal/ Oneia Luzia e Matheus de Carvalho

Funcionario