Poder Executivo

Especial Dia das Mães – “Tinha intuição que ela iria me trazer muita sabedoria”

Especial Dia das Mães – “Tinha intuição que ela iria me trazer muita sabedoria”

Alice Gabriela Santos Freire é uma jovem de 27 anos que chegou há menos de um ano na cidade de Ubatuba. Ela e a pequena Sofia, de 6 anos, vieram para o litoral após a aprovação de Alice no concurso público da Prefeitura, realizado em fevereiro de 2012.

As duas moravam em Sorocaba – cidade onde Alice estudou Engenharia Ambiental e se formou com muito louvor. Na época estudante, após um ano e meio de curso no ensino superior, ela descobriu que estava grávida e então, trancou a faculdade.

A partir daí começaram os desafios. “Não foi uma gravidez planejada então no começo foi difícil aceitar. Além da responsabilidade, o medo pela condição financeira, por não saber como ia ser e não saber o que ia atrapalhar ou não meus planos. Porém, foi mais fácil do que eu esperava”, revela Alice.

A engenheira conta que teve uma gestação tranquila, sem enjoos, e o parto foi normal. Quando relembra o dia em que a bebê nasceu, ela não esconde a emoção. “Quase não dá para acreditar que nasce assim, tão perfeito. Eu já havia escolhido o nome Sofia pelo significado – sabedoria e pelo livro ‘O Mundo de Sofia’ que li e gostei muito. Já tinha intuição de que ela iria me trazer muita sabedoria”, recorda-se.

No começo, Alice desejava ter um menino e conta que chegou a ficar desapontada quando descobriu o sexo do neném. Ela justifica esse sentimento, dizendo que pensava ser mais fácil lidar com um garoto, pois não se classificava muito feminina. Entretanto, hoje ela mudou completamente sua visão, dizendo que a comunicação entre elas é muito mais fácil, que meninas falam mais cedo e que elas se entendem muito bem.

“Somos muito amigas. Ela se preocupa muito comigo. Eu cuido dela mas ela cuida muito de mim. Se eu estou triste ou falo algo no telefone, ou ela percebe que alguém me chateou, ela quer saber”, comenta a funcionária pública.

Mudança de vida

Elas planejaram muito a vinda para Ubatuba. Quando Alice foi prestar a prova, conversou com a filha e explicou sobre a avaliação. Caso fosse aprovada, elas mudariam para a praia. Diante da expectativa, a pequena ficou muito animada. Elas oraram e torceram para dar certo. Quando veio a aprovação foi uma festa.

A engenheira relembra que a conquista do diploma foi dupla. Após morando um ano e meio em Rio Claro com a mãe entre gravidez e nascimento da filha, Alice retornou para Sorocaba e retomou os estudos. Ela ia para faculdade, que era integral, e deixava Sofia na creche – alternava a grade e sempre dava um jeito de dedicar tempo à garota.

“Fui vivendo um dia de cada vez. Quando peguei meu diploma, ainda mais com ela na formatura, foi uma felicidade imensa até porque o diploma não era só meu, era dela também”, garante.

“Parece que eu não lembro como era minha vida antes da Sofia. Agora ela dá sentido a minha vida. Todo dia ela me surpreende. Nenhum dia é igual – ou por ela dizer algo, ou por perguntar as coisas. O que ela mais me surpreende é em como ela é compreensiva, sinto que não há nada que ela não seja capaz de entender”, conclui.

Recado de mãe para filha:  “Espero que ela seja uma pessoa de bem. Procuro dar uma base para que ela tenha essa firmeza no coração, de dar o melhor dela para o mundo como eu acho que dou o meu melhor para ela”.

Funcionario
/* * VLibras */