Poder Executivo

Especial Concursados – O que transforma a sociedade é a educação

Especial Concursados – O que transforma a sociedade é a educação

A vida de Vando Moraes de Paula, literalmente, deu muitas voltas. Ele, que já chegou a trabalhar por um longo período na área da construção civil, acredita que o serviço público proporciona mais estabilidade do que o comércio e o turismo –  setores mais fortes da economia ubatubense.

Dessa forma, decidiu fazer o concurso público em 2015. Quando foi aprovado, não imaginava como seria sua atuação na unidade escolar e, apenas durante o curso básico oferecido pela Secretaria de Educação da Prefeitura de Ubatuba é que realmente a “ficha caiu”.

“Pensei que ia trabalhar com crianças maiores, de  sete anos. Porém, foi uma surpresa. Comecei a cuidar de um pequeno com síndrome de down e logo me apeguei. Mas depois fui direcionado para acompanhar crianças com seis anos. Elas são mais independentes, mas muito carinhosas”, revela o jovem.

Vando ainda completa dizendo que “o carinho das crianças faz com que a gente se empenhe mais”. Essa vocação de cuidar de crianças vem da família, pois comenta que sempre conviveu com os sobrinhos. Mesmo não sendo da família, o agente afirma que os pequenos são muito receptivos e abertos.

Em 2013, enquanto fazia curso técnico em meio ambiente, foi estagiário da Prefeitura de Ubatuba e, devido à movimentação, disse que já estava aguardando o concurso. “Justamente pela Prefeitura estar há muitos anos sem realizar concurso e o Ministério Público ter solicitado, eu estava sempre acompanhando, esperando sair o edital. Fiquei estudando e me preparando”, relembra o agente.

Ele, nascido em Ubatuba, remanescente do Quilombo da Fazenda e membro do Conselho Municipal de Quilombo, conta que na mesma época em que estava sendo elaborado o concurso, foi aprovada a Lei que garante cotas –  o que permitiu que esse recurso já fosse aplicado na seleção.  “Achei muito justo, porque só em Ubatuba temos quatro comunidades quilombolas e duas indígenas”, destaca Vando.

Mudança de rumo

O objetivo inicial era de cursar uma faculdade na área ambiental fora de Ubatuba, mas o concurso mudou os planos do jovem, que viu na área da educação sua verdadeira vocação. “Decidi cursar pedagogia ou letras para continuar na área da educação e, de repente, só fazer concursos para mudar de função. Meu desejo também é trabalhar com inclusão, auxiliando crianças com necessidades especiais. Percebo que essa área proporciona muita felicidade e é um trabalho importante e gratificante”, afirma.

A paixão de Vando fica nítida quando ele interage com os pequenos. Muito querido, sempre recebe abraços e sorrisos. É bastante solicitado, chamado carinhosamente de “prô Vando”.

“Cada sorriso, cada detalhe, cada avanço cognitivo nas habilidades deles que você desenvolve é muito gratificante. Optar pela educação foi realmente uma mudança de rumo. Não estou vivendo mais em um antigo paradigma e, a partir de com o que me deparei na escola, tanto as crianças como os profissionais, resolvi que vou me dedicar a essa área e ser mais feliz”, garante.

Ele ainda complementa que seu universo agora é muito mais amplo, porque sua oportunidade – antes restrita na área de educação ambiental, agora tem um campo muito maior de atuação. “Sabemos que o que transforma a sociedade é a educação”, finaliza Vando.

Funcionario
/* * VLibras */