Poder Executivo

Projeto Recrear dá um tom diferente às férias de alunos municipais em Ubatuba

Projeto Recrear dá um tom diferente às férias de alunos municipais em Ubatuba

Quando a palavra “férias” é pronunciada, a última coisa que a gente associa a ela é a combinação “escola”, certo? Em Ubatuba, um projeto que está acontecendo em algumas unidades da cidade prova que não é bem assim….

Desde o dia 07 de janeiro, alguns profissionais como professores e agentes educacionais contratados no processo seletivo, monitores e gestão estão em nove escolas do município para promover atividades recreativas para as crianças que se inscreveram para participar da iniciativa, em dezembro de 2019.

“O objetivo do projeto Recrear é ter a escola viva no período de férias, com atividades recreativas para os alunos, promovendo experiências artísticas, culturais e esportivas de maneira prazerosa e descontraída, proporcionando momentos de inclusão e socialização”, explicou a secretária de Educação de Ubatuba, Pollyana Gama.

A ação contempla estudantes atendidos pela rede municipal desde a Educação Infantil e Ensino Fundamental até o Ensino Médio. As atividades são planejadas pela equipe às segundas-feiras de cada semana, desde que o projeto teve início, e a participação dos jovens acontece de terça a sexta-feira, das 9h às 13h, sendo que incluem café da manhã e almoço.

O encerramento está previsto para o dia 24 de janeiro e as aulas da Rede Municipal devem começar no dia 04 de fevereiro.

Na EM Padre José de Anchieta, estudantes de três unidades: o próprio Anchieta, a Emei Idalina Graça e a EM Olga Gil estão frequentando o espaço. Na manhã de quarta-feira, 15, as brincadeiras ficaram por conta da prática do slackline, pular corda e jogos de tabuleiro.

Esse foi o primeiro dia de Emanuelle, de seis anos, que estava aproveitando o dia para brincar e, também a estreia de Kamila, de dez. “Estou gostando das brincadeiras porque brinca todo mundo junto”, confessou.

Já para Maria, de sete, essa é a segunda semana de atividades. “Todo dia tem uma brincadeira diferente, a que eu mais gostei foi coelhinho sai da toca”, disse.

“Achei excelente e está funcionando bastante. A criançada está animada, o projeto é bem dirigido e os professores são muito atenciosos”, afirmou Alcione Souza Ramos, tia de participantes e, também, professora da Rede.

 

EM Mário Covas

Na EM Mário Covas, no Ipiranguinha, alunos das unidades como EM Maestro Pedro e EM Helena Maria estão reunidos – crianças entre 04 e 12 anos são divididas pelos profissionais em grupos, que se alternam em rodízio pelas atividades.

A professora contratada, Valéria Gomes, também avaliou o programa como muito bom. “É algo que eles gostam e tira eles das ruas”, lembrou.

Ela ainda compartilhou que a previsão é que, na sexta-feira, 17, atividades como cine pipoca e gincana estejam na programação.

José Anderson Costa, é monitor da unidade e reforçou que se trata de uma boa ideia. “É um aprendizado para eles e, também, algo que os faz sair da rua e do stress que, muitas vezes, é em casa”.

EM Prefeito Silvino

Na Marafunda, o que chamou atenção da garotada foi o pebolim. Christian Bruno e Mateus Naim têm 11 anos e estavam aproveitando o último ano que poderão participar do projeto. Ambos deram um show na modalidade. Mateus contou que aprendeu a jogar com o pai, que tem um exemplar da mesa do jogo em casa.

Samuel Silva, de oito anos, também não ficou atrás e conquistou seu espaço em meio aos mais velhos.

No local, também aconteceram partidas de taco, futebol, slackline e jogo da velha usando arcos de bambolê.

A agente educacional Pietra Alves comentou que a chuva, nesta semana, dificultou um pouco a opção de diversificar as atividades mas que, com muita criatividade, organizaram uma sessão cinema com o filme Mogli. Os que se dispersaram, aprenderam a jogar xadrez.

“Eles vêm, participam e gostam. Alguns, convidaram os amigos que fizeram inscrição em cima da hora. Eles estão muito animados”, comemorou.

A professora Márcia Souza ainda destacou que esse projeto é uma forma de resgate das crianças que, hoje, em sua maioria, dispendem muito tempo com celular e jogos eletrônicos. “Ainda que seja só por uns 20 dias, já é um começo”, finalizou.

Confira todas as escolas onde está acontecendo o projeto Recrear:

Região Sul: EM Prof. Ernesmar de Oliveira, na Praia Dura e EM Maria da Cruz Barreto no

Perequê-Mirim;

Região Central: EM Senhor João Alexandre, no Sesmaria, EM Prof. Maria Josefina Giglio

da Silva, na Estufa II, EM Padre José de Anchieta, no Sumaré e EM Presidente Tancredo

de Almeida Neves, no Centro.

Região Oeste as escolas polo são: EM Governador Mario Covas no Ipiranguinha e EM

Prefeito Silvino Teixeira Leite, na Marafunda. E na região Norte são a EM Prof. Marina Salete Nepomuceno do Amaral, no Perequê-Açu.

 

Funcionario