Poder Executivo

Patrimônio nº 1 da Prefeitura é resgatado pela equipe da Secretaria da Fazenda

Patrimônio nº 1 da Prefeitura é resgatado pela equipe da Secretaria da Fazenda

A equipe da Secretaria Municipal da Fazenda resgatou recentemente o patrimônio nº 1 da Prefeitura de Ubatuba: um crucifixo que foi descartado há mais de cinco anos.

Frei Luiz Cláudio Avelar, da Paróquia central da cidade, benzeu a Cruz na última quarta-feira em uma solenidade que contou com a presença do prefeito Maurício, da secretária da Fazenda Isabella Vassão e dos funcionários do setor. O crucifixo foi recolocado na mesma parede de onde foi retirado.

O Crucifixo ficou pelo menos 5 anos perdido. O agente administrativo Marcelo da Cruz Lima conta que quando foi trabalhar na Secretaria da Fazenda, em 2001, viu a cruz no gabinete.

A partir de 2005, a cruz, segundo Lima, foi retirada do gabinete da Fazenda e enviada para o Departamento de Contabilidade. Depois, durante uma reestruturação na Secretaria, o símbolo religioso foi parar no meio de um material que deveria ser descartado.

“Eu me lembro bem. Em 2010 achei a cruz no meio dos entulhos e guardei-a em minha gaveta. Agora, em 2013, mostrei ao meu colega Ivo Edson da Silva, o Pelé, que é Fiscal de Tributos e verificamos que se tratava do patrimônio número um da Prefeitura”, conta Lima.

A Cruz, lembra Pelé, estava em estado deplorável, escurecida, com os pés do Cristo descolados.

“Fiquei tão consternado que resolvi levar o patrimônio público de imenso valor histórico e religioso para um amigo, o Joel Félix dos Santos, que entre outras atividades, também restaura”, desabafa Pelé, que há 30 anos é funcionário da prefeitura.

A atual secretária da Fazenda, Isabella Vassão, disse lamentar muito a atitude profana.

“Toda administração pública deve ser aberta e respeitar a prática de culto de todas as religiões, dentro do espírito do Estado Laico, que norteia a Constituição”, opina Isabela.

“Sabemos que a cruz é um dos maiores símbolos da religião católica e concebe o sagrado, a fé, a esperança, a vida e o universo, além de funcionar como um elemento agregador poderoso. Enfim, é um símbolo católico que representa o local onde Jesus Cristo foi morto para salvar a humanidade, situação relembrada e revivida nesta Semana Santa, quando são celebradas a paixão, a morte e a ressurreição de Cristo em todo o país”, completa  Isabella.

Ao benzer a Cruz, Frei Avelar cantou o hino “Ninguém te ama como eu”, lembrando que o amor de Cristo está acima de qualquer crença ou religião.

“O Crucifixo não é um amuleto da sorte, ele representa aquele que doou sua vida a nós e por isso deve ser respeitado por todos os homens, cristãos ou não, pelos que têm fé e pelos que não têm”, pontua Frei Avelar.

Funcionario
/* * VLibras */