Ubatuba e São Sebastião se reúnem para discutir sobre etapas do Brasileiro de Surf 2018

Ubatuba e São Sebastião se reúnem para discutir sobre etapas do Brasileiro de Surf 2018

O prefeito de Ubatuba, Délcio Sato (PSD) recebeu, na manhã desta sexta-feira, 17, o prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto, acompanhado de representantes do Governo e da Associação de Surf de São Sebastião, para analisar propostas de promoção de etapas do Brasileiro de Surf 2018 em Ubatuba e São Sebastião, que seriam sediadas em praias como Itamambuca e Maresias.

A equipe da secretaria de Esportes e Lazer de Ubatuba – Marcelo Surcin “Marcelinho Carioca, secretário; Richard Ricardo dos Santos, secretário adjunto e Fábio Fragoso de Lima, coordenador do setor de Surf – também participou da reunião, juntamente com o presidente da Associação Ubatuba de Surf (Aus), Marco Carvalho.

“Seria uma força tarefa juntando as duas cidades”, explicou o relações públicas da prefeitura de São Sebastião, Philipe Marmo.

“A ideia é a implantação de um circuito, denominado Tríplice Coroa, cujo objetivo é a pontuação dos atletas como classificação para as olimpíadas, além de incentivar o fomento ao turismo no Circuito Litoral Norte”, acrescentou o prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto.

O prefeito Sato aprovou a iniciativa, pois alia dois grandes objetivos da sua administração: o resgate de Ubatuba como capital do Surfe e o incentivo ao turismo do Circuito Litoral Norte. “Acreditamos que, com a união de todos, podemos realizar esse evento de visibilidade mundial que muito tem a agregar a nossa cidade. Vamos oferecer o apoio, dentro das nossas possibilidades e buscando parcerias, para que aconteça e seja um sucesso”, afirmou.

Durante o encontro, foram discutidos diversos assunto para definir o plano de trabalho e a parceria entre os dois municípios, tanto em organização, como em busca por patrocínio, principalmente diante de um perfil otimista de empresas que já apoiam o esporte na região.

Se aprovado, o evento deve acontecer nos meses de junho, julho e agosto de 2018, formado por três etapas, e contando com transmissão ao vivo pela internet.

Há estudos para que, além do apoio da iniciativa privada e das associações de surf das cidades, a disputa também tenha o apoio da WSL. Vale lembrar, ainda, que também está em estudo a possibilidade do torneio acabar sendo realizado em escala mundial.

O surf está entre os esportes mais praticados no país e já foi oficializado como uma das modalidades que vão disputar medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tokyo 2020 no Japão.

Reuniao Ub e SSeba