Associação de catadores e SUP Ecológico são exemplo de economia solidária

Associação de catadores e SUP Ecológico são exemplo de economia solidária

O SUP Ecológico e a Associação de Reciclagem do Coco Verde e de Catadores de Materiais Recicláveis de Ubatuba (Coco e Cia.) são dois dos empreendimentos que integraram a delegação de Ubatuba que participou do 4º Seminário sobre Economia Solidária e Congresso da Unisol – Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários, realizado em São Paulo, entre os dias 25 e 27 de novembro. Ambos trabalham em cooperação para gerar não apenas renda de forma colaborativa, como também conhecimento, saúde e desenvolvimento sustentável.

O SUP Ecológico foi idealizado por Marcelo Salada há dois anos com a idéia de fazer canoas de PET. “Comecei a pesquisar e vi que era possível fazer o SUP (prancha de stand up paddle) de pet reciclado. Um primeiro grupo se formou mas não avançou porque dois dos parceiros não se interessaram por agregar mais gente e trabalhar de forma colaborativa, na lógica da solidariedade”.

Marcelo ampliou os contatos e, com apoio de novos parceiros, como Bethania Souza Santos, começou a conectar outras áreas de maneira transversal, combinando educação ambiental, reciclagem e geração de renda. “Juntamos com os catadores, pessoal da educação física, do yoga, profissionais da biologia e cada vez mais expandimos a iniciativa”.  Bethania explica que, além de tudo, o projeto fomenta novos talentos e descentraliza a prática do stand up paddle. “Damos aulas gratuitas de SUP para a comunidade que, em contrapartida, nos doa garrafas PET e outros materiais para o trabalho”.

construcao-prancha-praia

Gilda conta que estudou Nutrição e que, como parte de seu trabalho de conclusão de curso, construiu a proposta da reciclagem do coco verde. Daí veio a idéia de montar uma cooperativa. O encontro com o SUP aconteceu na praia, por acaso. “Em 2014, vi o Salada com a prancha de PET, perguntei o que era aquilo e começamos a trocar idéias sobre a proposta da cooperativa de reciclagem. E ele contou que a fibra do coco poderia ser útil na proposta do SUP”.

Apoio da Prefeitura

Os processos foram caminhando de maneira paralela mas em diálogo. Nesse meio tempo, sempre contaram com o apoio da Prefeitura de Ubatuba. No caso do SUP, a primeira ação mais ampla de divulgação do projeto, de exposição das pranchas construídas com o material reciclado e de debate com estudantes foi durante o Festival da Mata Atlântica. “Esse foi o momento de mobilização, de início oficial”, contam Marcelo e Bethania.

Já a associação de catadores se formalizou e estabeleceu parceria com a Prefeitura para trabalhar ativamente na coleta e separação de materiais recicláveis no Centro de Triagem. O grupo integrado por cerca de 15 catadores, a maioria mulheres, também se filiou ao Movimento Nacional de Catadores.

coco-cia-assiantura-termo

“Recolhemos todos os tipos de materiais”, conta Gilda, que preside a associação e que, em um futuro próximo, quando estiverem mais estruturados, espera poder também trabalhar com a reciclagem do coco.

Ao fazer o trabalho de reciclagem, a cooperativa chama atenção da sociedade para a necessidade de que cada um pense não apenas no consumo, mas no destino final do que consome, bem como valorize o trabalho dos catadores.

Fabiana Miranda, da secretaria de Meio Ambiente, explica que grandes geradores de resíduos, ou seja, aqueles que produzem mais de 200 litros por dia, como comércios e condomínios, têm a obrigação de dar um destino a seus resíduos como, por exemplo, enviá-los à associação de reciclagem. “Essa não é uma tarefa apenas do poder público, mas de toda a sociedade”.

 

Ubasol como espaço de encontro e articulação

O reencontro entre os dois grupos aconteceu em agosto, em uma reunião com a Unisol e no processo de articulação da rede Ubasol de economia solidária. A partir daí, os grupos estão trabalhando de maneira próxima, reforçando um ao outro.

Os resultados econômicos também começam a surgir e são inseparáveis do trabalho de conscientização. No caso do SUP Ecológico, a primeira prancha foi vendida recentemente, durante a 6ª Etapa de Stand Up Paddle, realizada no Rio de Janeiro, como parte da “Campanha Mar sem lixo, Mar da Gente”. Já a associação de catadores fez uma primeira venda de materiais coletados que permite dar continuidade ao trabalho conjunto.

Betania finaliza: “Nossa idéia é principalmente ensinar todo mundo a fazer prancha, fomentar o coletivo, a reciclagem e a economia solidária”. No Congresso da Unisol, Roberto Marinho, da Secretaria Nacional de Economia Solidária, destacou: “A cooperação é um estágio avançado da consciência humana e é hoje a única saída para o planeta Terra”.

Para acompanhar o trabalho do SUP Ecológico, visite a página no facebook:

https://www.facebook.com/SUP-Ecol%C3%B3gico-Ubatuba-1589843481247836/